O Ano dos Paulistas

Já estamos em dezembro e, tirando o Mundial de Clubes da FIFA, o ano do futebol brasileiro já acabou.

Justamente por isso faço aqui uma rápida análise dos grandes times de São Paulo em 2011.

CORINTHIANS

+ Destaco o presidente Andrés Sanches como ponto positivo. Mesmo após a precoce eliminação da Libertadores pelo Tolima e a derrota na final do Paulistão para o Santos, manteve Tite no comando da equipe e ganhou o quinto título brasileiro de presente.

– Adriano novamente decepcionou. Mesmo com as lesões no ombro e no calcanhar, não dá para aceitar que um jogador profissional não consiga entrar em forma após um ano!

PALMEIRAS

+ Sinceramente é difícil achar um ponto positivo no Verdão de 2011. Destaco aqui então o bom futebol do volante Marcos Assunção. Achava que não conseguiria repetir neste ano o bom 2010 que teve e me enganei.

– O ponto negativo é algo que venho alertando faz tempo: palmeirense, cuidado com seus “ídolos”! Kleber mostrou que não merecia a idolatria da torcida verde. Já São Marcos, esse sim, merece! Mas e os outros? O meia Valdivia e até mesmo o técnico Felipão… O crédito deles vai até quando?

SANTOS

+ Neymar, Ganso, Arouca, Danilo, Rafael, Muricy… Campeão paulista e da Libertadores… Vai disputar o Mundial de Clubes possivelmente contra o Barcelona… Está bom pra vocês?

– Apesar da excelente administração de Luis Álvaro de Oliveira, não gostei nem um pouco de sua reeleição. Vale lembrar que quando assumiu o Santos, afirmou com todas as letras que ficaria apenas um mandato, dando chance depois para outra pessoa. Pelo jeito, foi mordido pelo mosquito do “poder”.

SÃO PAULO

+ Outro que é difícil achar um ponto positivo. Mas vamos destacar o meia Lucas, que apareceu como “craque” após bela campanha no Brasil Sub-20, caiu de rendimento, mas finalizou o ano como “ótimo jogador”.

– A diretoria do São Paulo mostrou que não é diferenciada coisa nenhuma! Contando com o interino Milton Cruz, foram quatro técnicos em 2011 e nenhum título. Nem sequer uma vaga para a Libertadores. Definitivamente o Tricolor do Morumbi está de volta à vala comum.

6 Respostas to “O Ano dos Paulistas”

  1. Rodrigo Linhares. Says:

    Outro grande ponto negativo no São Paulo foi o Casemiro.

    Pintou bem no Tricolor mas, pelo jeito, os empresários enfiaram na cabeça do jogador que ele é um Paulo Roberto Falcão.

    Ele acreditou, o futebol sumiu e o volante acabou virando moeda de troca no Morumbi…

  2. Pedro Luiz Boscato Says:

    Admiro muito o Andrés Sanchez. Acho-o um dirigente equilibrado, está fazendo um excelente trabalho no Corinthians. Bancou o Tite, teve personalidade, soube reconhecer o valor do treinador. Qualquer outro, em seu lugar, face a eliminação na Libertadores como aconteceu, muito provavelmente teria demitido o técnico, sempre a culpa é atirada sobre este, normalmente. Aliás, admiro o Andrés Sanchez bem ainda antes dele ser Presidente, por suas condutas em entrevistas, em participações em programas.
    Quanto ao Milton Cruz, acredito, ocorre com ele o mesmo que ocorria com Mário Travaglini no Palmeiras nas boas
    épocas de Palmeiras. O Professor Ferrúcio Sandolli, um dos homens fortes na direção palmeirense, era contra sua efetivação, dizia que nos momentos de crise do futebol, como a responsabilidade normalmente caia sobre o treinador, Travaglini poderia se aborrecer, ir embora e com isso o clube vindo perder um grande valor.
    Em relação à reeleição de Luís Alvaro, muito embora muitos sejam contra isso, sou de opinião que o que é bom deve continuar. Um exemplo disso, sem dúvida, foi Laudo Natel no São Paulo. Laudo presidiu o São Paulo por mais de uma década. Pergunto: houve Presidente melhor do que Laudo Natel no São Paulo?

  3. Pedro Luiz Boscato Says:

    Sendo um bem para o clube, trocar por que? Laudo Natel, por exemplo, como citei, na Presidência do São Paulo. São Paulo teve Presidente melhor? Um dia, claro, saiu, tinha que sair, outros vieram. Mas, enquanto esteve e deu plenamente conta do recado, por que, pensar em tirar? O Presidente não estando agradando, tudo bem, oposição que se lance em Assembléia, todo clube tem seu estatuto, de acordo com o mesmo é que funciona. Em todo clube, pelo menos que é do meu conhecimento, o associado escolhe a chapa de Conselheiros. Quem manda nos clubes são os associados. Wadi Helu, por exemplo, no Corinthians, presidiu de 1961 à 1971, sempre eleito em Assembléias, Associados votavam a cada quatro anos o mesmo ocorrendo com o Conselho Deliberativo. Um dia, não agradando a maioria, perdeu a eleição, os sócios votaram, isso em 1971, Miguel Martinez, com apôio de Vicente Matheus, foi eleito.

  4. odilon mario cardoso Says:

    EU TB SOU MUITO MAIS NEYMAMAR, OCORRE QUE OS ESPANHÓIS JOGAM SIMPLESMEMNTE O FAMOSO PRATO BRASILEIRO CHAMADO ARROZ C/ FEIJÃO, NÃO HÁ FILIGRANAS E MUITO MENOS FRESCURAS C/ A BOLA NOS PÉS !!! O MAIOR PROBLEMA DO SANTOS É A DEFESA ONDE SEU MIOLO DE ZAGA É FRAQUISSÍMO E A LATERAL ESQUERDA É MUITO VUNERÁVEL, SENDO EXPLORADA, ALI SERÁ O CAMINHO DAS PEDRAS P/ O BARCELONA !!!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: