A vida imita a arte

Alguém já viu “Lendas da Vida”, com Matt Damon e Will Smith? Filmaço, que após assistir aos pedaços em distintos canais da TV fechada, vi de cabo a rabo nesse final de semana.

Matt Damon é Rannulph Junuh, um promissor jogador de golfe que impressionou sua cidade natal, Savannah, ao vencer um torneio amador com uma tacada inicial (drive) que entrou para a história.

Chamado para defender seu país na Primeira Guerra Mundial, Junuh interrompe sua inicial carreira no esporte e assume a patente de capitão. Mas seu batalhão é dizimado pelos inimigos e, como único sobrevivente, ganha o direito de voltar para casa.

Traumatizado com as mortes de seus colegas e com gritos e zumbidos de balas que ressoavam em seus sonhos, Junuh passa 12 anos longe de sua cidade natal. Ao retornar, é rechaçado pelos amigos e pela antiga namorada e a única coisa que pode salvá-lo é enfrentar os dois melhores jogadores de golfe da época em um torneio organizado no campo de seu ex-sogro.

Mas a guerra transforma as pessoas e Junuh não é o mesmo, nem perante a sociedade e, muito menos, perante o golfe. Ele perdeu seu swing e só vai conseguir enfrentar com dignidade seus adversários se recuperá-lo. E o responsável por devolver o bom jogo ao antigo queridinho de Savannah é o caddy (carregador de tacos e conselheiro) Bagger Vance, interpretado por Will Smith.

É claro que no início Junuh tem dificuldades de encontrar seu jogo e passa vergonha diante dos dois melhores golfistas da época. Mas Vance consegue mostrar o caminho e, no decorrer do torneio, Junuh recupera seu swing e volta a fazer suas jogadas incríveis.

Sei que a bola é outra, mas confesso que enxerguei um pouco do atual momento de Kaká no personagem de Matt Damon. A situação do camisa 10 do Brasil não é tão dramática como na película dirigida por Robert Redford, mas acredito que comparações podem sim ser feitas.

Kaká não está traumatizado com a Primeira Guerra Mundial, mas vem de uma séria contusão e luta para mostrar na mais importante competição do futebol mundial que ainda pode ser aquele craque de anos anteriores.

Assim como Rannulph Junuh, o camisa 10 do Brasil não começou tão bem a competição, mas está em claro crescimento. E com uma vontade impressionante, que até causou uma estranha e injusta expulsão contra a Costa do Marfim.

Não sei quem faz o papel de Will Smith nesse filme protagonizado por Ricardo Izecson, mas acredito que no final, Kaká encontrará seu ‘swing’ e como prêmio, apesar de não levar no braço a tarja de capitão e sim no coração, levantará a Copa do Mundo.

E o que acontece no final de “Lendas da Vida”? Já aviso que não é tão previsível como parece, mas…

Bom, confiram em VHS, DVD ou Blue-Ray.

Imagens: FIFA / divulgação

6 Respostas to “A vida imita a arte”

  1. Luisa Cassab Says:

    Olha o Gus arrasando na análise fílmica!!! huahauhauauh

    acho q o Vance do Kaká vai ser o Júlio César…hehehe pelo menos na entrevista dele após o jogo deu essa impressão, que acha?

  2. gustavogrohmann Says:

    Luiziiiiaaaa… que bom te ver por aqui!!! Acho que a própria “vontade”, “gana”, “alma” do Kaká é que fazem o papel de Will Smith… Não sou especialista e apenas gosto de cinema… principalmente os “holywoodianos”… acho que para quem entende de cinema isso é mais ou menos a como gostar das novelas da Globo, né?!?! Achei a atuação do Will Smith muito boa… quero saber a opinião do filme e das atuações da especialista (e sobrinha do prefeito… rs) Luiza…

  3. Renan Cacioli Says:

    O pior é que no final desse filme do Kaká é provável que o Dunga queira ser o Will Smith. Acho que o meia da seleção tem chance de nunca mais voltar a jogar como em 2008. O que me assusta, pois seria o segundo grande jogador brasileiro dos últimos tempos, ao lado do Ronaldinho Gaúcho, que deixará aquela sensação de que poderia ter sido mais _como ocorreu com o Edmundo na década passada, por exemplo. A diferença está nas razões de cada um. Edmundo não foi além porque em sua época tinha Romário e Ronaldo. Gaúcho estacionou porque “desistiu” do jogo. Kaká porque a exigência física está acabando com sua carreira.

    • gustavogrohmann Says:

      Talvez ele esteja com esse “olho de tigre” (tão pedido por Apollo no Rocky III – citando outro filme), pois saiba que essa é sua última Copa, justamente por esse problema físico…

  4. Marcos Júnior Says:

    Belíssimo texto, Gustavo!, embora não tenha assistido o filme. Agora fiquei curioso pra assistir. Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: