A educação mandou lembranças

De que adianta construirmos estádios lindos, com segurança, estacionamentos gigantescos, banheiros limpos e confortáveis, praças de alimentação de qualidade e etc, se os torcedores brasileiros não têm o mínimo de educação?

Faço essa pergunta após relato de um amigo que esteve nas arquibancadas do Morumbi na partida entre São Paulo e Once Caldas.

A implantação do “setor Visa” nos estádios brasileiros cria a possibilidade da “compra” de uma cadeira para toda a temporada. Mas quem falou que os torcedores respeitam a numeração e o nome do cidadão que adquiriu o ingresso antecipado?

Dez minutos antes do início da partida o “dono” de uma das cadeiras amarelas da arquibancada do Morumbi chegou e seu lugar estava ocupado por um indivíduo de uns 35 anos acompanhado do filho.

Educadamente e com o papel que teoricamente garantiria seus direitos em mãos, o são-paulino pediu licença e disse que aquele era o seu lugar e que, inclusive, tinha o seu nome ali estampado.

Alegando que o estádio estava cheio, o torcedor bateu o pé, engrossou a voz e afirmou que dali não sairia. Uma leve discussão começou, mas o “dono” do lugar acabou desistindo de assistir ao jogo no lugar que escolheu e pagou no início do ano.

Sabem quantos seguranças ou orientadores estavam num raio de 200 ou 300 metros para resolver o impasse? Nenhum!

Agora eu pergunto: será que esse torcedor que garantiu sua cadeira no início da temporada, mas foi desrespeitado e não pôde assistir ao jogo no lugar desejado vai comprar o mesmo pacote no início do ano que vem?

O dono do estádio ou a Visa tem de colocar orientadores e seguranças nas arquibancadas para fazer valer o direito do torcedor que comprou o ingresso e tem seu nome ou número marcado no acento.

E os torcedores tem de ter um pouco mais de educação, ou serão sempre tratados como animais.

Já imaginaram se o “dono” da cadeira resolve fazer seus direitos valerem na força bruta? Como ficaria o filho do sujeito que não quis sair do lugar que não era dele?

Infelizmente afirmo aqui que esse ignorante* representa boa parte dos torcedores brasileiros e que, se não disponibilizarem seguranças e orientadores nos próximos jogos, teremos brigas dentro da própria torcida do time mandante.

*Ignorante: Que ou quem ignora. Falta de educação, ou aquele que não a tem. (Dicionário Aurélio)

10 Respostas to “A educação mandou lembranças”

  1. Ednilson Valia Says:

    Meu caro jornalista,

    Para melhorar a educação deste país precisaremos de décadas a fio. O grande problema dos estádios são as carterinhas falsas e as credenciais em excesso distribuidas pela Aceesp.

  2. Dedé Says:

    O problema é cultural. Cabe aos resposaveis orientar os torcedores tanto na hora da compra quanto no proprio estadio. A copa tem tudo para amenizar a força bruta da mentalidade tupiniquim.

    • gustavogrohmann Says:

      Não sei não… Porque eu to achando que o público da Copa não será o público normal dos estádios brasileiros. Talvez, durante o Mundial a coisa pareça resolvida, mas, retomados o campeonato nacional, volta tudo como era antes. Acredito que essa mudança de mentalidade demore de 10 a 20 anos…

  3. ze Says:

    nao acredito em mudança nao…olha o exemplo que o filho tem, como se nao bastasse estar em lugar errado ainda nao foi feito nada a respeito…um dia ele vai ser o pai que vai passar o mesmo ao filho dele, e quem perde é o Brasil…

  4. Carla Ciasca Says:

    Infelizmente isso não é problema só da organização do estádio ou da empresa… é problema da falta de educação e da mania de burlar regras que a maioria dos brasileiros tem e acha bonito. Brasileiro é mal-educado, ignorante e egoísta no estádio… mas também o é quando finge que está dormindo no banco do metrô pra grávida não sentar, ou que torce o nariz quando o velhinho de bengala passa na frente na fila do banco, ou faz questão de não dar passagem pro carro no trânsito… enfim… são coisas básicas de educação que a maioria dos brasucas simplesmente ignoram. Tenho certeza que na Copa será diferente, pq o público de maneira geral serão os gringos que sabem muito bem dar um banho de respeito quando se trata de obedecer às regras.

    • gustavogrohmann Says:

      Concordo que essa falta de educação não está presente só no estádio, mas sim na sociedade em geral… Mas podemos mudar isso. Sei que é “chavão”, mas basta cada um fazer sua parte…

  5. Luiz Felipe Colucci Says:

    Estava lá e presenciei uma cena igual!! E só para constar, ontem no Morumbi mais uma vez aconteceu!

    Eu e uns amigos compramos o pacote do ano inteiro um ao lado do outro. Quando cheguei (20 minutos antes do jogo) só meu lugar estava vazio. Na hora já avisei as 3 pessoas que estavam nas cadeiras dos meus amigos que eles logos estariam lá. Que deveriam buscar um lugar pra eles.
    Chegou um amigo, e eles foram para o lado. Depois Cegaram os outros 8 amigos que estavam com a cadeira comprada.
    Acredito que como estavamos em muitos, os ‘invasores’ sairam sem nem reclamar. Mas acabaram parando na fileira de baixo que também estava comprada.

    Infelizmente ainda temos que contar com essas coisas. Mas acho que o pessoal que comprou o ano inteiro estão defendendo uns aos outros e criando até uma amizade, pois todos os jogos (seja libertadores ou paulistinha) estão todos la!

    Abraço!

  6. gustavogrohmann Says:

    Se alguém não tomar atitude e colocar orientadores ou seguranças, acho que problemas surgirão nos próximos jogos…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: